EFECaracas

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, afirmou nesta quarta-feira que está pronto para ter um conversa com representantes da oposição, em referência à proposta feita ontem por Juan Guaidó de abrir uma negociação sob algumas condições prévias enumeradas pelo ex-deputado.

"Eu concordo, (podemos negociar) com a ajuda da União Europeia, do governo norueguês, do Grupo de Contato (bloco internacional). Quando eles quiserem, onde quiserem e como quiserem, eu estou pronto para me reunir com toda a oposição para ver o que sai disso", declarou Maduro em um ato governamental transmitido pela emissora de televisão estatal "VTV".

O presidente enxerga a investida dos opositores com bons olhos, mas voltou a acusá-los de tentar tirá-lo do cargo através de um golpe de Estado. "Vamos ver se sai algo de bom disso. Eles abandonaram o caminho da guerra, da invasão, dos ataques, do golpe de Estado e vêm para o caminho eleitoral. Estamos esperando por eles aqui, no caminho eleitoral. A proposta foi aprovada", afirmou, que, no entanto, ironizou ao dizer que o ex-presidente do Parlamento venezuelano pode ter alguma carta na manga.

"Guaidó quer se sentar comigo. O que trará em suas mãos? Que armadilha trará? Será que lhe deram a ordem do Norte?", provocou, chamando o rival de "boi de piranha" dos Estados Unidos.

Guaidó publicou nas redes sociais ontem uma mensagem de vídeo em que disse buscar um grande acerto entre os atores políticos dentro da Venezuela. "Esse acordo precisa surgir através de um processo de negociação entre as forças democráticas legítimas, o regime e os poderes internacionais", destacou o líder oposicionista.

Nesta quarta, em entrevista coletiva conjunta, representantes da oposição reforçaram a possibilidade de contar com a Noruega como mediadora na negociação e confirmaram que representantes do país escandinavo visitaram a Venezuela em duas ocasiões neste ano.