EFELondres

A primeira-ministra britânica, Theresa May, e a chanceler alemã, Angela Merkel, abordaram nesta terça-feira em uma conversa por telefone a possibilidade de que a comunidade internacional responda de forma coordenada ao envenenamento do ex-espião duplo russo Serguei Skripal em solo britânico.

Um porta-voz de Downing Street, escritório oficial de May, informou em comunicado que a chefe de governo britânica pôs Merkel a par das conclusões da investigação que determinou que Skripal foi exposto a um agente nervoso de natureza militar fabricado pela Rússia.

Ambas "dialogaram sobre o padrão agressivo no comportamento da Rússia e concordaram que seria importante atuar em uníssono entre os aliados para resistir", afirmou essa fonte.

Além disso, consideraram que a comunidade internacional "deveria se coordenar" caso se confirmem as suspeitas de que o Kremlin está por trás da tentativa de assassinato do antigo agente da inteligência russa, que foi cooptado pelo MI6 britânico nos anos 90.

Na sua conversa com Merkel, May "expressou a conclusão à qual chegou o governo do Reino Unido de que é altamente provável que a Rússia seja a responsável pelo ataque" contra Skripal, de 66 anos, e sua filha Yulia, de 33.

Ambos permanecem em estado crítico desde que foram envenenados em Salisbury, no sul da Inglaterra, no último dia 4.

May espera receber uma explicação por parte da Rússia antes da meia-noite de hoje e reunirá amanhã o Conselho Nacional de Segurança para avaliar seus próximos passos.