EFEMedellín (Colômbia)

A cidade de Medellín, na Colômbia, está em fase crítica devido ao colapso do sistema hospitalar, com uma ocupação de 98% das unidades de terapia intensiva, o que forçou nesta quarta-feira as autoridades a reforçarem as restrições de mobilidade para lidar com o terceiro pico de contágio por coronavírus.

"Estamos no limite do plano de expansão da UTI, mas isso não é suficiente. Devemos continuar a trabalhar incansavelmente. Este é o momento mais crítico", declarou o governador do departamento de Antioquia, cuja capital é Medellín, a segunda maior cidade da Colômbia, Luis Fernando Suárez, em entrevista coletiva.

A grave situação foi destacada pelo alto alerta de 12 hospitais e clínicas no Valle de Aburrá, onde fica Medellín, e em municípios próximos, como Rionegro. A cidade declarou uma "emergência hospitalar de grau 3" por causa da enorme demanda por atendimento médico.

Por essa razão, Medellín, que já vinha aplicando restrições como a lei seca em diferentes épocas e o acesso alternado ao comércio, começará nesta quinta-feira um confinamento que terminará na próxima segunda será estendido a grande parte de Antioquia.

A cidade tem 4.676 casos ativos de coronavírus, de um total de 221.144 infectados. Por outro lado, 212.507 pessoas se recuperaram, o que equivale a 96%.

O procurador-geral de Medellín, William Yeffer Vivas, afirmou à Agência Efe que a maior preocupação é o fato de a cidade ter uma ocupação de 98,25% dos leitos da UTI. "Hoje temos apenas 16 leitos disponíveis", alertou.

Vivas disse que os esforços para trazer funcionários da área da saúde de outras regiões têm sido difíceis porque cidades como Pereira, Cali e Barranquilla, que os apoiaram, também estão passando por um aumento sustentado de infecções.

NOVOS LEITOS DE UTI.

A Secretaria de Saúde de Medellín informou que nos últimos dias foram habilitados 171 novos leitos de UTI e espera inaugurar outros 30 nos próximos dias.

"A Semana Santa criou uma grande pressão. Muitos chegaram infectados de suas viagens", declarou o prefeito de Medellín, Daniel Quintero, em sua conta no Twitter.

Antioquia tem mais de 15 mil casos ativos, e a ocupação de suas unidades de atendimento está em 94,4%, razão pela qual o sindicato dos funcionários da área da saúde da região pediu 'lockdown' de 14 dias.

Segundo o Ministério da Saúde, o departamento reportou nesta terça-feira mais 2.479 contágios, o que elevou o total desde o começo da pandemia para 387 mil, enquanto o número de mortes por Covid-19 chegou a 7.210, com 50 de segunda para ontem.

O governador exigiu do setor empresarial a adoção de medidas de teletrabalho e horários flexíveis para evitar a repetição das multidões vistas no metrô de Medellín, o que pode transformar o sistema de transporte em um foco de contágio.