EFECidade do México

O terremoto de 7,5 graus na escala Richter que atingiu o centro e o sul do México nesta terça-feira causou pelo menos quatro mortes no estado de Oaxaca, epicentro do tremor.

De acordo com o boletim mais recente da Defesa Civil, o terremoto também deixou quatro feridos, dois em Oaxaca e os outros na Cidade do México.

Em Oaxaca, uma jovem morreu em um desmoronamento em Santa María Huatulco, um homem de 70 anos perdeu a vida em San Juan Ozolotepec devido à queda de um telhado e outro homem foi vitimado ao ser atingido por um muro em San Agustín Amatengo.

No mesmo estado, um funcionário da estatal Petróleos Mexicanos (Pemex) caiu de uma estrutura durante o terremoto e morreu no hospital.

O governo estadual, Alejandro Murat, informou que o hospital de Huatulco, que atende pacientes com Covid-19, sofreu danos e pode precisar ser evacuado.

O tremor, registrado a 12 quilômetros de Crucecita, ocorreu às 10h29 (horário local; 12h29 em Brasília) e pôde ser sentido em vários pontos do país, inclusive ativando o alerta sísmico na Cidade do México.

Na capital, os alarmes de alerta sísmico soaram um minutos antes de o tremor se sentido com força, o que deu tempo para os cidadãos evacuarem os edifícios.

Segundo a Defesa Civil, na capital foram reportadas duas pessoas lesionadas, danos leves nas fachadas de 32 edifícios e danos estruturais em um imóvel no bairro de Roma.

A prefeita da Cidade do México, Claudia Sheinbaum, descartou mortes, desmoronamentos de edifícios e danos em hospitais. Já no vizinho Estado do México houve danos em dois hospitais, um no município de Ecatepec e outro em Chalco.

Nos estados de Chiapas, Guerrero, Morelos, Tabasco, Veracruz, Puebla, Michoacán, Tlaxcala e Hidalgo não foram reportados danos consideráveis até o momento.

O território mexicano está situado sobre cinco placas tectônicas. A maior parte do país pertence à placa Norte-americana, enquanto a península de Baixa Califórnia pertence à placa do Pacífico, e no litoral do Pacífico estão a microplaca de Rivera, a de Cocos e a do Caribe.

Em 2017, 471 pessoas morreram no México por causa de três terremotos, nos dias 7, 19 e 23 de setembro, na maior catástrofe natural do país desde o terremoto de 1985, que deixou milhares de mortos na capital.