EFEMiami

Com um recorde de 2.916 casos de Covid-19 confirmados nas últimas 24 horas, o condado de Miami-Dade continua a ser o principal foco de contágios na Flórida, estado que nesta quarta-feira chegou a 223.783 infecções e 3.889 mortes.

Miami-Dade, onde 1.068 pessoas morreram por causa da doença, se aproxima de 54 mil casos confirmados, segundo os números atualizados pelo Departamento de Saúde da Flórida.

Após o aumento visto nas últimas semanas, o prefeito de Miami-Dade, Carlos Giménez, decretou a proibição dos serviços de restaurantes no interior dos estabelecimentos a partir desta quinta-feira.

Giménez explicou que a medida, que se soma ao atual toque de recolher às noites, só será suspensa quando a taxa de casos positivos cair para cerca de 5%. Ontem, o índice era de 22% no condado. Os restaurantes em Miami-Dade só poderão servir ao ar livre, além de realizar entregas e vender comida para a viagem.

O prefeito de Miami, Francis Suárez, pediu clareza ao condado, que na terça-feira se retratou de outras ordens que incluíam o fechamento de academias e do serviço ao ar livre de restaurantes, medidas que geraram reclamações desses setores.

"Nossas comunidades precisam de uma estratégia clara para um caminho sustentável de recuperação. O processo de decisão deve ser transparente e impulsionado por fatos, não por impulsos", disse Suárez.

Miami-Dade acumula 53.774 casos desde 1º de março, quando o estado relatou a primeira infecção, seguido pelos condados vizinhos de Broward e Palm Beach, com 23.781 e 18.231 casos, respectivamente.

Esses três condados do sudeste continuam sendo os mais afetados no 'estado do Sol', que está a meio caminho da reativação econômica decretada pelo governador Ron DeSantis.

O republicano, que minimizou a importância da explosão dos casos (no sábado foram reportados 11.458, recorde para um dia), não mostra sinais de recuo no processo e ainda não forneceu dados diários das internações, apesar das inúmeras solicitações de vários setores.

Em Broward, a pandemia já matou 419 pessoas, enquanto em Palm Beach o número chegou hoje a 569.

Em outros condados, como Duval, no norte da Flórida, há 10.439 casos confirmados e 70 mortes, e em Orange, no centro, 15.194 pessoas foram contagiadas e 63 morreram.

Na cidade de Jacksonville, Duval, onde o presidente americano, Donald Trump, tem programado um discurso para o final de agosto, para se proclamar o candidato presidencial republicano na convenção do partido, os casos dispararam nos últimos dias.

Até mesmo o prefeito, Lenny Curry, está sob quarentena preventiva voluntária desde a terça-feira por causa da exposição ao coronavírus SARS-CoV-2. EFE

ims/vnm