EFELa Paz

O comandante-chefe das Forças Armadas da Bolívia, Williams Kaliman, anunciou nesta segunda-feira que os militares realizarão operações conjuntas com a polícia para frear o vandalismo no país.

Kaliman anunciou as novas operações junto a vários chefes militares. Segundo ele, as Forças Armadas receberam uma carta que dizia que "a polícia boliviana foi superada".

"Em cumprimento da missão constitucional, o comando militar autorizou que as Forças Armadas executem operações conjuntas com a polícia boliviana para evitar sangue e luto à família boliviana, empregando de forma proporcional a força contra os atos de grupos de vândalos que causam terror", anunciou.

O chefe militar destacou ainda que "nunca as Forças Armadas abrirão fogo" contra a população, e pediu "sensatez e paz" aos bolivianos.

O anúncio de Kaliman vem após o comandante departamental da policía em La Paz, José Antonio Barrenechea, pedir a intervenção dos militares nas ruas, com o argumento de que a situação está "insustentável" e que os policiais não conseguirão conter a violência sozinhos. EFE

gb/vnm