EFEBogotá

O ministro da Defesa da Colômbia, Carlos Holmes Trujillo García, morreu nesta terça-feira em Bogotá, aos 69 anos, em decorrência da Covid-19, informou o presidente Iván Duque.

"Colombianos, é com profunda dor e tristeza que recebi a notícia da morte de nosso ministro da Defesa, Carlos Holmes Trijillo", disse o presidente Duque em um comunicado ao país no qual observou que o falecimento ocorreu "hoje cedo após complicações de saúde enquanto lutava contra a Covid-19".

O ministro, que também foi chanceler de Duque nos primeiros 15 meses de governo, testou positivo para Covid-19 no último dia 12, em Barranquilla, dois dias depois de chefiar um conselho de segurança na cidade vizinha de Santa Marta.

Nesse mesmo dia foi colocado em quarentena e embora continuasse com as suas funções, foi internado na clínica Iberoamérica, em Barranquilla, de onde no dia 14 foi transferido para o Hospital Militar Central, em Bogotá, onde faleceu às 2h (hora local) de hoje.

"Carlos Holmes era meu amigo, meu parceiro de luta, meu companheiro de equipe e meu ministro em duas pastas", recordou Duque, na declaração feita hoje pela manhã na Casa de Nariño, sede presidencial.

Trujillo teve uma longa carreira política que o levou a ser ministro da Educação, Interior, Relações Exteriores e Defesa em vários governos.

Foi também prefeito de Cali, membro da Assembleia Nacional Constituinte que redigiu a Constituição da Colômbia de 1991, embaixador na Áustria, Rússia, na Organização dos Estados Americanos (OEA) e na União Europeia, em Bruxelas, entre outros cargos.

Chegou ao Ministério da Defesa em novembro de 2019, após ser chanceler de Duque desde o início de seu governo, em agosto de 2018.