EFEGenebra

Um juiz da Organização Mundial do Comércio (OMC) autorizou nesta quarta-feira que a China imponha tarifas anuais no valor de US$ 645 milhões sobre produtos americanos importados, devido à recusa dos Estados Unidos em cumprir as decisões da entidade contrárias às suas tarifas sobre as exportações chinesas.

A quantia foi calculada com base nos danos sofridos pelos exportadores chineses por conta das referidas tarifas americanas, que a OMC declarou incompatíveis com as regras do comércio internacional, segundo destacaram fontes próximas à organização com sede em Genebra.

A disputa entre EUA e China na OMC foi iniciada por Pequim em 2012 por conta das tarifas americanas sobre exportações chinesas como painéis solares, tubos, cilindros de aço e prateleiras de cozinha, entre outros produtos.

As tarifas autorizadas pela OMC à China são inferiores às solicitadas por este país, que solicitava o valor de US$ 2,4 bilhões por ano, mas superam os US$ 106 milhões propostos pelos Estados Unidos.

O juiz da OMC também rejeitou a proposta americana de ajustar a metodologia utilizada para medir os efeitos comerciais das medidas antidumping emitidas pelos EUA contra os mesmos produtos chineses durante o período analisado na atual disputa.

Embora o juiz da OMC tenha determinado o volume de tarifas que a China pode impor aos EUA, agora a economia asiática deve apresentar sua proposta de tarifas sobre determinados produtos americanos perante o Órgão de Solução de Controvérsias da organização para obter uma nova autorização. EFE