EFEGenebra

A Organização Mundial da Saúde (OMS) modificou nesta quinta-feira o site de informações sobre a Covid-19 para admitir a possibilidade de transmissão aérea do coronavírus SARS-CoV-2, principalmente em ambientes fechados e em determinadas circunstâncias.

"Tem havido surtos de Covid-19 em certos lugares fechados, como restaurantes, boates, locais de oração ou áreas de trabalho onde as pessoas gritavam, falavam ou cantavam", onde a transmissão por via aérea "não pode ser descartada", destaca o comunicado.

O portal acrescenta que este tipo de contágio pode ter ocorrido em ambientes mal ventilados, onde pessoas com coronavírus puderam passar um longo período de tempo com outras pessoas.

A OMS acrescenta que são necessários mais estudos "urgentes" para investigar este tipo de transmissão, embora ressalte que por agora a principal via de transmissão comprovada é através do contato com pequenas gotas expelidas por pessoas infectadas quando estas tossem ou espirram.

Esta transmissão também seria possível se estas gotículas permanecessem em determinadas superfícies (móveis, maçanetas, grades), passassem pelo contato com outras pessoas e tocassem os olhos, nariz ou boca.

Na terça-feira passada, os especialistas da OMS anteciparam em entrevista coletiva que não descartavam uma possível transmissão aérea do vírus (que o tornaria muito mais contagioso) sob certas condições, em resposta aos pedidos de mais de 200 cientistas para que esta possível via de infecção seja investigada.

O jornal "The New York Times" publicou na segunda-feira uma carta aberta na qual 239 cientistas exigiam que a OMS levasse mais a sério a hipótese de transmissão por via aérea do coronavírus SARS-CoV-2 e enfatizavam que os padrões de distanciamento social da Covid-19 eram insuficientes.