EFEGenebra

A Organização Mundial da Saúde (OMS) disse nesta sexta-feira que o número de casos do novo coronavírus, com origem em Wuhan, na China, continuará aumentando nos próximos dias, à medida que os controles se intensificarem no país asiático, mas observou que "está prestes a chegar a conclusões sobre a gravidade do vírus".

"No início, o foco era nos piores casos, talvez ignorando os menos graves, pessoas que só se sentiam levemente doentes e não foram submetidas a exames, mas agora que a vigilância se intensificou, certamente haverá mais casos", afirmou o porta-voz da OMS, Tarik Jasarevic.

Ele reiterou que não há tratamento específico para o coronavírus, que já infectou quase 900 pessoas e causou pelo menos 26 mortes. Mas disse que isso não significa que os pacientes não possam ser tratados, seguindo outras diretrizes gerais para pessoas afetadas por doenças respiratórias semelhantes.

"Estamos trabalhando duro para tentar entender o vírus, como diagnosticá-lo e ver o que funciona e o que não funciona contra ele, mas ainda estamos em um estágio inicial", afirmou.

Um comitê de emergência da OMS decidiu ontem, após dois dias de reuniões, não declarar por enquanto uma emergência internacional para o surto do coronavírus, tendo em conta as medidas de contenção adotadas pela China, que incluíam o bloqueio da saída de pessoas em cerca de uma dúzia de cidades no país. EFE

abc/phg