EFELuis Miguel Pascual. Paris

"Paris está cheia". A frase é do diretor do Observatório de Turismo da capital francesa, Thomas Deschamps, e refere-se ao fim de semana de 28 de maio, quando Liverpool e Real Madrid disputarão a final da Liga dos Campeões no Stade de France, a causa dessa lotação.

Com uma semana para o jogo, as reservas de quartos de hoteis estão perto de 90% da capacidade. A taxa subiu de 10% para 15% por causa do jogo, de acordo com eleo.

Quando a Uefa decidiu transferir a final da 'Champions' de São Petersburgo - em retaliação à invasão da Ucrânia pela Rússia - e para Paris, os telefones das operadoras de turismo começaram a tocar freneticamente.

Porque aquele sábado não é um dia comum na capital do Sena. O próximo dia 26 é o único feriado público em meio da semana na França em maio. Com isso, muitos turistas procedentes de outras regiões do país vão emendá-lo com o fim de semana para visitar a Torre Eiffel e outras atrações da cidade.

Além disso, o torneio de tênis de Roland Garros terá começado no domingo anterior, sendo mais um foco de atração para os visitantes.

E, assim, Paris fica cheia. "Acho que ainda é possível encontrar um quarto, mas pode haver problemas para algum que não seja muito caro ou que tenha uma boa relação custo-benefício", afirmou Deschamps.

Mas a parte que está disponível é justamente a mais cara, e por isso que o chefe do Observatório do Turismo está incentivando os torcedores que ainda não fizeram reservas a se apressarem e procurarem todos os tipos de alternativas, como apartamentos, albergues e até campings.

LEVE AUMENTO DOS PREÇOS.

O aumento da demanda também levou a um aumento nos preços, embora Deschamps acredite que no caso de Paris, cidade acostumada a receber um grande número de visitantes durante todo o ano, não será tão espetacular quanto quando a final da Liga dos Campeões chegar a locais menores e com menos oferta.

Seus cálculos sugerem que o aumento poderia ser de 10% a 15%, longe do aumento de até 50 % observado em outros casos.

Deschamps não espera que a final da Liga dos Campeões aumente as visitas aos museus, mas espera que os torcedores espanhóis e britânicos que comparecerem à final desfrutem de bares e restaurantes na cidade. "Os hoteleiros vão aproveitar ao máximo", diz o chefe do Escritório de Turismo.

Cada equipe teve direito a 20.000 ingressos, outros 12.000 foram colocados à venda em abril, e o restante ficou com a Uefa. EFE