EFELisboa

O Parlamento de Portugal prorrogou nesta sexta-feira, por mais 15 dias, o estado de emergência - nível de alerta mais alto - no país, para que sejam endurecidas as medidas de combate ao novo coronavírus, que provoca a Covid-19.

A série de imposições e restrições será anunciada amanhã pelo primeiro-ministro luso, António Costa.

O estado de emergência, que expiraria nesta segunda-feira - e deixa 191 cidades com toque de recolher, inclusive Lisboa e Porto -, dessa forma, será prolongado até 8 de dezembro.

As medidas mais rígidas valem para todos os municípios que têm incidência acumulada de 240 casos de infecção pelo novo coronavírus para cada 100 mil habitantes.

As pessoas nestas cidades só podem sair de casa para atividades essenciais entre 5h e 23h. Nos fins de semana, o período é menor, entre 5h e 13h.

O ministro de Administração Interna, Eduardo Cabrita, indicou hoje que o número de município que ficarão em toque de recolher, entre 24 de novembro e 8 de dezembro, chegará a mais de 200, dos 308 do país.

Em Portugal, desde o início da pandemia, houve registro de 243.009 casos de infecção pelo novo coronavírus e 3.701 mortes por Covid-19.