EFERoma

O cineasta espanhol Pedro Almodóvar receberá o Leão de Ouro em homenagem à sua carreira na 76ª edição do Festival de Cinema de Veneza, de acordo com o anúncio divulgado nesta sexta-feira pelos organizadores do evento, que será realizado entre 28 de agosto e 7 de setembro.

A decisão foi tomada pelo Conselho Administrativo da Bienal de Veneza, do qual faz parte o festival de cinema, já que o diretor é considerado o "maior e mais influente" cineasta espanhol desde Luis Buñuel.

O diretor de "Mulheres à Beira de um Ataque de Nervos" (1988) e de "Tudo Sobre Minha Mãe" (1999) aceitou o reconhecimento e se mostrou "muito emocionado e honrado" por este prêmio.

Almodóvar afirmou ter "belíssimas lembranças" do festival, um dos eventos de cinema mais importantes do mundo e onde justamente aconteceu sua estreia internacional com "Maus Hábitos"(1983).

"Era a primeira vez que um de meus filmes viajava para fora da Espanha, foi meu batismo internacional e uma experiência maravilhosa (...) O Leão se transformará no meu animal de estimação, junto aos dois gatos com os quais convivo. Obrigada do fundo do meu coração", disse.

O diretor da mostra, Alberto Barbera, disse que Almodóvar "não é só o maior e mais influente diretor espanhol desde Buñuel, mas o autor que foi capaz de oferecer um retrato mais articulado, controverso e provocador da Espanha pós-franquista".

"Os temas de transgressão, desejo e identidade são o terreno de seus trabalhos, impregnados de um humor corrosivo e dotado de um esplendor visual que confere inéditos brilhos à estética 'camp' e 'pop-art' à qual se refere explicitamente", destacou Barbera.

O diretor do Festival de Veneza ressaltou a capacidade do cineasta espanhol de falar do mal do amor, do abandono e da incoerência do desejo em seus filmes, o que o situa entre o melodrama e a comédia, mas sobretudo de retratar personagens femininos "incrivelmente originais".

Veneza também entregará um Leão de Ouro honorário à atriz britânica Julie Andrews, intérprete de papéis inesquecíveis como Mary Poppins (1964).