EFELa Palma (Espanha)

O presidente do governo da Espanha, Pedro Sánchez, defendeu nesta sexta-feira a importância do diálogo na Catalunha, um dia depois da prisão do ex-presidente da região Carles Puigdemont, na Itália.

O líder independentista, que é deputado do Parlamento Europeu, foi detido ao chegar a L'Alguer, município da ilha da Sardenha, onde participaria de um ato com a secretária das Relações Exteriores da região espanhola, Victòria Alsina, e a presidente do Parlamento da Catalunha, Laura Borràs.

"Hoje, mais do que nunca, é importante pedir o diálogo, porque o diálogo é a única via para podermos nos reencontrar novamente", disse o chefe de governo da Espanha, na ilha de La Palma.

Sánchez indicou que se sentar em uma mesa de negociações é a única via para o reencontro entre os catalães e com o conjunto da população espanhola.

"A mensagem que quero passar é de compromisso e de pedido. Hoje ainda mais, é de diálogo entre as diferentes administrações para que os catalães possam superar o trauma que o ano 2017 representou", afirmou o presidente, em referência ao referendo de independência da região, realizado quatro anos atrás.