EFELondres

O programa de vacinação contra Covid-19 reduziu "substancialmente" as internações hospitalares na Escócia - até 94% - quatro semanas após a primeira dose, como mostra um novo estudo preliminar divulgado nesta segunda-feira.

A pesquisa foi elaborada por especialistas das universidades de Edimburgo, Strathclyde, Aberdeen, Glasgow e St Andrews e da organização de saúde pública Public Health Scotland, que se concentrou em pessoas que havia recebido a vacina desenvolvida pela Pfizer/BioNTech ou da Oxford/AstraZeneca.

Os cientistas examinaram as hospitalizações na Escócia entre aqueles que receberam a primeira dose e compararam os dados com aqueles que ainda não receberam a injeção.

Eles descobriram que após a dose inicial, na quarta semana, ambas as preparações apresentavam na Escócia uma redução do risco de hospitalizações por coronavírus em até 85% para a Pfizer, e 94%, para a AstraZeneca.

Em sua análise, os especialistas usaram dados de toda a população escocesa de 5,4 milhões de cidadãos.

"Estes resultados são muito encorajadores e nos deram grandes razões para estarmos otimistas com o futuro", enfatizou o principal autor do estudo, Aziz Sheikh, à emissora "Sky News".

Agora há "evidências nacionais de que a vacinação oferece proteção contra internações devido à Covid-19", acrescentou.

Por sua vez, Jim McMenamin, da Saúde Pública da Escócia, considerou que estes resultados são "importantes", uma vez que significam que estão sendo feitos progressos "das expectativas para a evidência sólida sobre os benefícios das vacinas".

"Entre a população escocesa, os resultados mostram um efeito substancial na redução do risco de internações hospitalares com uma única dose da vacina", disse ele.