EFESantiago

O presidente do Chile, Sebastián Piñera, decidiu não viajar para a Argentina, onde acompanharia nesta terça-feira a posse do presidente eleito do país vizinho, Alberto Fernández, para acompanhar os trabalhos de busca por um avião da Força Aérea chilena.

A informação foi confirmada pela porta-voz do governo, Karla Rubilar, que explicou que o mandatário seguirá em Santiago monitorando a tentativa de localização da aeronave, que partiu da base militar de Punta Arenas para a Antártida, com 38 pessoas a bordo.

"O presidente Piñera decidiu não viajar para a mudança de comando da Argentina. Ele conversou com o presidente Fernández hoje pela manhã para explicar a situação que preocupa e aflige todos os chilenos hoje", explicou Rubilar em entrevista coletiva no Palácio de La Moneda, sede do governo.

De acordo com a porta-voz, Fernández entendeu a situação e ofereceu ajuda para procurar a aeronave, que decolou ontem, às 16h55 (hora local) da Base Aérea de Chabunco, e estava indo para a base chilena na Antártica, onde deveria pousar às 19h17 (hora local).

O avião tinha uma carga de combustível planejada para ir e voltar da Antártica e poder voar até as 0h40 (hora local) de hoje.

Karla Rubilar acrescentou que Fernández prometeu uma visita ao Chile "nos próximos dias" e que Piñera também entrou em contato com o presidente Jair Bolsonaro, que ofereceu um navio para participar da busca.