EFEBeirute

O ministro da Saúde do Líbano, Hamad Hassan, afirmou nesta segunda-feira que o primeiro-ministro do país, Hassan Diab, renunciará ao cargo nas próximas horas, em meio a uma grande crise política e econômica agravada pela explosão ocorrida no porto de Beirute na semana passada.

De acordo com o ministro, Diab anunciará a renúncia sem se eximir de suas responsabilidades.

O anúncio foi feito ao término de uma reunião do Conselho de Ministros, no qual Diab solicitaria a convocação de eleições antecipadas.

"Acredito que Diab anunciará a renúncia", comentou à imprensa local o ministro do Transporte, Michel Najjar.

Três ministros renunciaram aos cargos nesta segunda-feira: os de Justiça, Finanças e Juventude, além dos de Informação e Meio Ambiente, que fizeram o mesmo no domingo.

Além dos 160 mortos e mais de 6 mil feridos, a explosão de aproximadamente 3 mil toneladas de nitrato de amônio deixou cerac de 250 mil habitantes de Beirute desabrigados.

O incidente foi o estopim para a revolta da população, que foi às ruas para expressar indignação e pedir a saída dos governantes, assim como em outubro do ano passado.