EFELa Paz

A presidente interina da Bolívia, Jeanine Áñez, revelou nesta quinta-feira que está com Covid-19 - doença causada pelo coronavírus SARS-CoV-2 - e que permanecerá em quarentena.

A Bolívia, com cerca de 11 milhões de pessoas, já registrou 1.577 mortes e 42.984 casos positivos de Covid-19. Em vídeo divulgado em redes sociais, Áñez explicou que continuará trabalhando porque se sente bem e com forças, apesar de ter testado positivo no teste de coronavírus.

"Junto com toda a minha equipe, temos trabalhado pelas famílias bolivianas durante todo este tempo e, como na semana passada muitos testaram positivo para o coronavírus, fiz o teste e também testei positivo", revelou Añez na gravação.

A presidente em exercício acrescentou que ficará em quarentena durante cerca de 14 dias, até ser novamente testada para ver como progrediu.

"Estou me sinto bem e forte, vou continuar trabalhando de maneira virtual do meu isolamento e quero agradecer a todos os bolivianos que estão trabalhando para ajudar nesta crise de saúde. Seguiremos em frente juntos", afirmou.

A mensagem vem após ser revelado que Áñez estava trabalhando na residência presidencial em La Paz, evitando ao máximo ir ao escritório no Palácio do Governo.

O diagnóstico positivo de Áñez se soma aos de pelo menos três ministros de seu gabinete, enquanto outros anunciaram que se isolariam como precaução.

A ministra interina da Saúde, Eidy Roca; o da Presidência, Yerko Núñez, e o de Mineração e Metalurgia, Jorge Fernando Oropeza, também testaram positivo para a Covid-19.

Uma das primeiras mensagens de apoio à presidente interina foi publicada no Twitter pelo ex-presidente boliviano Carlos Mesa, que desejou a Áñez uma "recuperação rápida e completa".

Áñez é candidata, pela coalizão Juntos, às eleições que serão realizadas em setembro na Bolívia, enquanto Mesa lidera a candidatura do grupo Comunidade Cidadã.