EFETucson (EUA)

A organização americana "We Build the Wall" ("Nós Construímos o Muro", em tradução livre) inicia nesta segunda-feira um programa de três dias de duração e transmitido por redes sociais com o objetivo de arrecadar mais recursos privados para construir novos trechos do muro na fronteira entre os Estados Unidos e o México.

Com esta campanha, a organização pretende arrecadar mais de US$ 30 milhões, conforme divulgou em comunicado.

A transmissão do programa, chamado Wall-A-Thon, será feita em Sunland Park, no estado do Novo México, onde no final de maio deste ano foi anunciada a construção do primeiro trecho - de cerca de um quilômetro - de cerca fronteiriça financiada com verba privada.

"Será uma celebração de nossa conquista histórica com o primeiro trecho do muro", disse Brian Kolfage, veterano de guerra que iniciou a campanha através da plataforma GoFundMe em dezembro deste ano.

De acordo com o site da organização, conhecida pela dura postura contra imigrantes ilegais, até o momento foram arrecadados cerca de US$ 24 milhões em doações privadas.

Nos próximos três dias, o grupo contará com vários convidados que participarão do programa, entre eles Steve Bannon, ex-assessor do presidente Donald Trump, e Kris Kobach, ex-secretário de Estado do Kansas e autor da lei antiimigração no Arizona SB1070.

Os participantes terão a oportunidade de "comprar" anúncios publicitários que serão colocados neste muro, cuja construção começou devido aos problemas de Trump para realizar uma de suas principais promessas eleitorais, diante da recusa do Congresso de liberar verbas.

A construção do primeiro trecho do muro no Novo México foi repleta de polêmicas. Na semana passada, por exemplo, a Comissão Internacional de Limites e Águas (IBWC) ordenou ao We Build The Wall para que mantenha a porta da cerca fronteiriça aberta ao livre trânsito de pessoas por tempo indeterminado.