EFEMoscou

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, agradeceu nesta sexta-feira ao mandatário da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, pelo papel desempenhado na assinatura do acordo para a exportação de cereais ucranianos e alimentos russos.

"Com sua participação direta e a mediação da ONU foi solucionado o problema relacionado ao abastecimento de cereal ucraniano dos portos do mar Negro. O abastecimento já começou. Quero agradecer por isso e porque, ao mesmo tempo, foi adotada uma solução conjunta sobre o abastecimento ininterrupto de alimentos e fertilizantes russos ao mercado mundial", disse Putin no começo de uma reunião em Sochi.

O mandatário classifica tal acordo como "muito importante", levando em conta os graves problemas enfrentados por muitos países devido à interrupção das exportações de cereais de Ucrânia e Rússia.

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, afirmou que Putin e Erdogan falarão nesta sexta-feira "sobre a passagem do primeiro carregamento de cereais de Odessa".

Ele se referia ao cargueiro Razoni, que transportou 26.500 toneladas de milho de Odessa para o Líbano através do estreito de Bósforo na segunda-feira.

As autoridades turcas disseram que mais três navios partirão nesta sexta-feira dos portos ucranianos de Odessa, Chornomosk e Pvidenny. Putin acrescentou que "os parceiros europeus devem ser agradecidos à Turquia porque ela assegura o trânsito suave do gás russo para o mercado europeu".

"O Turkish Stream, diferentemente de todas as outras rotas dos nossos abastecimentos de hidrocarbonetos, funciona sem problemas, dinamicamente, sem falhas. Tornou-se uma das principais artérias de abastecimento de gás russo à Europa", enfatizou.

Em nível bilateral, Putin manifestou confiança de que nesta sexta-feira as duas partes assinarão um memorando sobre o desenvolvimento das relações comerciais e econômicas.

Erdogan frisou que, "do ponto de vista da Turquia, a Rússia desempenha um papel especial na arena mundial" e espera que a reunião "abra uma nova página nas relações russo-turcas".

Sobre energia, Erdogan pediu a Putin para discutir sobre a usina nuclear de Akkuyu, que está sendo construída com assistência russa, o corredor de cereais do Mar Negro, o turismo e os transportes."As nossas delegações já se reuniram e discutiram tudo, mas hoje vão abordar o resto da agenda cara a cara", acrescentou.

Erdogan foi acompanhado por uma grande delegação, incluindo os ministros de Relações Exteriores, Defesa, Energia, Economia, Agricultura e Comércio, e segundo Peskov, os líderes discutirão a situação na Síria, para a qual Hakan Fidan, o chefe dos serviços secretos da Turquia, também se deslocou a Sochi.

O presidente turco quer obter a aprovação de Putin para uma nova operação militar da Turquia no norte da Síria contra a milícias curdas Unidades de Proteção do Povo (YPG). EFE