EFEMoscou

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, decretou nesta quinta-feira feriado até 30 de abril, em medida para evitar uma maior propagação do novo coronavírus no país, onde foram registrados 3.548 infectados e 30 mortos.

"Tomei a decisão de prorrogar o regime de dias não úteis até o fim do mês, até 30 de abril. Destaco que todos os trabalhadores devem ter os salários conservados", garantiu o líder, em pronunciamento exibido na televisão.

Anteriormente, o governo russo já havia anunciado que apresentaria medidas de apoio financeiro às empresas, para que pudessem manter os pagamentos de salários.

Putin já havia decretado como feriado os dias úteis dessa semana, de segunda à sexta-feira, mas como a propagação do novo coronavírus seguiu no país e há sinalização de especialistas de que o pico de contágio não foi superado, optou pela prorrogação do decreto.

"A semana de feriado declarada em todo o país e o regime de auto isolamento da população de muitas regiões, permitiram ganhar tempo para adotar medidas preventivas e mobilizar as autoridades, aumentar os recursos e fortalecer o sistema de saúde", detalhou Putin.

"Por enquanto, conseguimos proteger desta grave ameaça os mais velhos, impedir surtos da doença em creches, escolas, universidades e outros centros de ensino", completou o governante.

De acordo com os últimos dados, Moscou é a região mais afetada pela pandemia, com 2.475 infectados, além de 19 das 30 mortes registradas em todo o país.