EFEMoscou

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, ordenou nesta sexta-feira que o governo do país revise a estratégia de participação da Rússia na Organização Mundial de Comércio (OMC), por causa das sanções ocidentais impostas pela invasão da Ucrânia.

O Kremlin tem até 1º de junho deste ano para "atualizar" o papel da Rússia na organização, que o país integra desde 2011.

Putin, além disso, determinou uma avaliação sobre se as sanções adotadas pelos países que integram a OMC violam as regras, com a finalidade de entrar com recursos.

O presidente defende que as medidas punitivas que limitam o comércio russo são ilegais, e que, se isso for respaldado, "deverão ser apresentadas propostas para que a Rússia recorra delas no seio da organização”.

Putin, que hoje participou de uma reunião sobre o desenvolvimento da indústria metalúrgica, também considera que as sanções criaram uma crise mundial.

Em março, os embaixadores da União Europeia se dirigiram à OMC para exigir que a Rússia perca o status de nação mais favorecida.

A medida abre as portas para a imposição de tarifas aos produtos russos e foi apoiada pelos Estados Unidos.

A Rússia foi expulsa do G8, grupo dos países mais industrializados e ficos do mundo, após a anexação da península da Crimeia, na Ucrânia, em 2014.

O país foi o último entre as grandes economias do planeta a ingressar na OMC, tendo entrado na organização em 22 de agosto de 2012, após décadas de negociações. EFE