EFELondres

O governo do Reino Unido convocou para esta segunda-feira uma reunião entre ministros da Saúde dos países que integram o G7, grupo das sete economias mais desenvolvidas do mundo, para debate sobre a variante ômicron do novo coronavírus.

"Sob a presidência britânica, foi convocada uma reunião urgente de ministros da Saúde do G7, em essa segunda-feira, 29 de novembro, para abordar a evolução da ômicron", garante comunicado divulgado hoje pelo Ministério da Saúde e Atenção Social do Reino Unido, liderado por Sajid Javid.

O G7 é também é formado por Estados Unidos, Canadá, França, Alemanha, Itália e Japão, além da União Europeia, como convidada.

A variante ômicron, cuja detecção foi anunciada na última quinta-feira, na África do Sul, fez com que vários países anunciassem restrições de viagens que tem o sul da África como origem.

Nesta sexta-feira, a Organização Mundial da Saúde indicou a cepa, que preocupa pelo alto número de mutações, como de risco, o que requer maior acompanhamento pela própria agência e por laboratórios espalhados pelo planeta.

Até o momento, o Reino Unido confirmou a detecção de três casos de infecção pela ômicron, todos ligados a viagens feitas ao sul da África.

Para tentar conter um possível aumento no número de positivos, o governo britânico já anunciou uma série de medidas, como a reintrodução da obrigatoriedade do uso de máscara em espaços fechados, testes PCR para pessoas que chegam do exterior, mesmo que vacinadas, além da aceleração do oferecimento da dose de reforço.

Dez países estão na lista vermelha de risco de contágio elaborada pelo governo do Reino Unido. São eles a África do Sul, além da Namíbia, Zimbábue, Botsuana, Lesoto, Suazilândia, Angola, Moçambique, Malaui e Zâmbia. EFE

jm/bg