EFEMoscou

O vice-ministro das Relações Exteriores da Rússia, Alexandr Grushko, afirmou nesta sexta-feira que a Otan, ao declarar o país como a "principal ameaça" da aliança, optou pelo confronto.

"A Rússia foi reconhecida como uma ameaça à Aliança. Isso é um redirecionamento gravíssimo. É uma verdadeira declaração de enfrentamento conosco, de contenção da Rússia em todas as frentes", disse Grushko, em sessão do Clube Internacional de Debate Valdai.

De acordo com o vice-chanceler, independentemente do que disserem os líderes da Otan sobre o caráter defensivo da aliança, "o vetor de sua atividade militar está decidido, e é o enfrentamento com a Rússia".

Grushko, além disso, destacou que a Otan questionou o direito da China de se desenvolver como um dos pólos do mundo multipolar, já que classificou o país asiático como "desafio".

Sobre o contive para que Finlândia e Suécia se incorporem à aliança, o vice-ministro russo não poupou as palavras para demonstrar a insatisfação.

"Do meu ponto de vista, é um dos episódios mais tristes na evolução da segurança europeia", garantiu.

"Isso conduzirá à piora da segurança regional, complicará enormemente a situação no Norte e reduzirá as possibilidades para a cooperação pacífica", completou.

Para Grushko, a adesão da Finlândia e da Suécia ao bloco "deteriorará" de maneira grave a situação militar no mar Báltico. EFE