EFEMoscou

A Rússia não vai negociar a troca de prisioneiros com os Estados Unidos através da "diplomacia do alto-falante" e considera erradas as ações de Washington a respeito, disse nesta sexta-feira o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov.

"Se começarmos a discutir na imprensa quaisquer detalhes ligados a trocas, elas nunca ocorrerão", afirmou ele após ser questionado sobre a possibilidade de uma troca envolvendo a estrela do basquete Brittney Griner, que foi condenada ontem a nove anos de prisão por posse de drogas e contrabando.

Segundo Peskov, a tentativa de trazer esta discussão para o debate público "é um erro que os americanos já cometeram".

"De repente eles decidiram resolver isso por meio de 'alto-falantes'. Não é assim que isso se resolve. É por isso que não faremos nenhum comentário a respeito", declarou.

Peskov também enfatizou que o Kremlin sempre se abstém de comentar as decisões dos tribunais russos, portanto, fará o mesmo nesta ocasião.

Entretanto, ele não descartou a possibilidade de que Griner possa ser perdoada caso não seja possível chegar a um acordo de troca de presos, ressaltando que "todas as questões relacionadas ao perdão são reguladas por lei, e há certos procedimentos que podem ser utilizados pela condenada".

Nesta sexta-feira, o ministro das Relações Exteriores russo, Sergey Lavrov afirmou que a Rússia está disposta a considerar uma troca de prisioneiros com os Estados Unidos, mas dentro da estrutura do canal estabelecido pelos presidentes russo, Vladimir Putin, e americano, Joe Biden.

O chefe da diplomacia russa enfatizou que este canal, que em abril permitiu a troca do ex-militar americano Trevor Reed e do russo Konstantin Yaroshenko, presos na Rússia e nos EUA, respectivamente, continua em vigor.

"Se os americanos querem novamente recorrer à diplomacia pública e fazer declarações grandiosas de que vão tomar certas medidas, bem, isso é com eles, esse é o problema deles", afirmou. EFE