EFESão Paulo

Em visita oficial ao Brasil, onde ao longo desta semana se reúne com empresários e autoridades, a secretária de Estado do Comércio da Espanha, Xiana Margarida Méndez-Bértolo, elogiou a agenda de reformas no país e ressaltou a importância de que o acordo comercial entre Mercosul e União Europeia respeite a pauta ambiental.

Durante a passagem pelo país, que é um dos principais mercados da Espanha na América Latina, Méndez-Bértolo encontrou-se em São Paulo com empresários espanhóis e o governador João Dória, que a recebeu no Palácio dos Bandeirantes.

Na reunião, foram debatidas questões como as privatizações que o governo paulista pretende implementar e que podem ser de interesse de multinacionais espanholas.

A secretária de Estado ressaltou que "as empresas de mobilidade sustentável, infraestruturas e telecomunicações", assim como as do setor da água, estão entre as mais interessadas nessas possíveis privatizações.

Além disso, Méndez-Bértolo destacou positivamente as reformas econômicas empreendidas pelo governo de Bolsonaro e o Congresso.

"A mensagem que (as empresas espanholas) nos deram é muito positiva. As principais queixas sobre o clima de negócios estão encaminhadas (para serem resolvidas) através das últimas reformas que visam facilitar a captação de investimentos estrangeiros", disse.

Méndez-Bértolo citou nominalmente as reformas tributária, atualmente em tramitação no Congresso, e da previdência, já aprovada, como fatores que podem ajudar a atrair empresas da Espanha para o Brasil.

"A reforma fiscal é bem recebida pelos investidores espanhóis, porque tem melhorias técnicas e simplificação de procedimentos", disse a secretária, que também classificou a reforma da previdência como "um sinal de que o Brasil está dando os passos certos e tomando decisões corajosas em termos econômicos.

IMPASSE NO ACORDO UE-MERCOSUL.

A secretária de Estado também comentou o acordo político conseguido em junho para que se concretize um tratado de livre comércio entre a União Europeia (UE) e o Mercosul, que ainda não foi ratificado e acabou sendo afetado pelas tensões entre o governo brasileiro e vários países europeus devido aos recentes incêndios na Amazônia.

Segundo Méndez-Bértolo, a troca de críticas entre as partes foram "manifestações feitas em momentos muito específicos para acontecimentos muito específicos, embora importantes".

Essas declarações, de acordo com ela, "não devem mudar o foco da importância de um acordo como este".

Para a secretária, o pacto comercial entre os dois blocos inclui "o mais importante e ambicioso capítulo de desenvolvimento sustentável já negociado".

"Temos que utilizar este acordo com o Mercosul como exemplo de acordo que vai mais longe em matéria de meio ambiente (...), que inclui o cumprimento efetivo do Acordo de Paris e o compromisso da UE e do Mercosul de cumprirem efetivamente esse acordo", acrescentou.

INCÓGNITA SOBRE O BREXIT.

Em meio à grande incógnita que Reino Unido e União Europeia têm vivido sobre o Brexit e a dois dias das eleições legislativas britânicas que podem selar o destino dessa relação, Méndez-Bértolo ressaltou que, neste momento, a saída do país do bloco sem um acordo "está mais remota do que nunca", mas reforçou que as empresas espanholas e europeias devem "estar preparadas" para um rompimento abrupto.

"Nossa aposta seria por uma saída com um acordo, que nos dará um tempo para chegar a um acordo ambicioso em matéria comercial e firmar as bases de uma boa relação com um mercado que é fundamental para nós", destacou.

Depois dos compromissos em São Paulo, Méndez-Bértolo cumprirá agenda em Brasília, onde participará nesta quarta-feira de uma reunião de trabalho no Ministério das Relações Exteriores. No dia seguinte, a secretária vai participar, no Rio de Janeiro, de uma reunião com empresários.