EFEJerusalém

O número de palestinos mortos em Gaza durante a última semana de conflito contra Israel subiu nesta segunda-feira para 200, incluindo 59 crianças, segundo informou o Ministério da Saúde do enclave.

Depois de mais uma madrugada de intensos bombardeios israelenses contra a Faixa, a pasta de Saúde de Gaza também atualizou o número de feridos para 1.305.

Testemunhas na Faixa de Gaza disseram que os aviões israelenses efetuaram mais de uma centena de ataques contra o enclave, onde vivem mais de dois milhões de palestinos, causando explosões e pânico generalizado durante as primeiras horas da manhã.

Os aviões também atingiram estradas e ruas principais e destruíram casas e infraestruturas, a maioria delas concentradas na cidade de Gaza, ao norte e ao sul do enclave.

Segundo as testemunhas, as ambulâncias e os veículos da Defesa Civil enfrentaram grandes dificuldades no acesso às áreas afetadas e no transporte de feridos.

Por sua parte, o exército israelense informou ter matado em um ataque seletivo efetuado hoje um dos comandantes da Jihad Islâmica, Hasam Abu Hardib, apontado como responsável pelo lançamento de mísseis antitanque a partir do enclave.

Já as fontes médicas palestinas disseram que aviões de guerra israelenses atingiram um carro na cidade de Gaza com dois mísseis, matando três homens.

Também hoje, a companhia de eletricidade de Gaza informou que as linhas de transmissão da única central que abastece o enclave sofreram graves danos em consequência dos últimos bombardeios, o que aumentou a ocorrência de quedas de energia.