EFEAbuja

Ao todo, duas meninas de 13 e 16 anos, supostamente do grupo terrorista Boko Haram, morreram nesta quarta-feira na cidade de Maiduguri, na Nigéria, em uma tentativa fracassada de ataque suicida a uma mesquita, informou a Polícia.

Os fiéis que estavam no templo evitaram o ataque ao perceber a presença das duas. Na fuga, as os explosivos explodiram, mas só elas morreram, informou o delegado da Polícia do estado de Borno, Damian Chukwu.

"Elas correram e tentaram se esconder em um prédio em construção. Na fuga, colidiram uma com a outra e explodiram", explicou Chukwu, conforme o jornal "Daily Post".

Apesar do governo nigeriano afirmar ter derrotado os jihadistas, eles continuam a fazer ataques esporádicos especialmente no estado de Borno, onde surgiu em 2002. Embora as tropas nigerianas tenham conseguido recuperar grandes partes do território ocupado pelos terroristas, o Boko Haram mudou as táticas para se concentrar em ataques em pontos fracos como mercados, mesquitas, igrejas e escolas.

Os comandantes militares afirmaram no início deste mês que a Nigéria estava embarcada em uma campanha para expulsar finalmente aos terroristas do país. Com ajuda de forças internacionais, 1.000 reféns dos insurgentes foram libertados esta semana. Calcula-se que mais de 20 mil pessoas morreram desde 2009 devido a este conflito e que há cerca de 2 milhões de deslocados.