EFEWashington

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pediu ao seu homólogo russo, Vladimir Putin, que "acabe" com a interferência no sistema político americano, segundo explicou em entrevista a embaixadora dos EUA na ONU, Nikki Haley.

"(Trump) mencionou imediatamente o assunto da interferência eleitoral e o fez por uma razão; primeiro, queria olhá-lo nos olhos e dizer: sim, sei que interferiram nas eleições; sim sabemos que o fez e isso tem que acabar", assegurou Nikki.

Esta versão da reunião de ontem entre os dois em paralelo à cúpula do G20 de Hamburgo (Alemanha) difere um pouco da que foi dada pelo secretário de Estado americano, Rex Tillerson, e é oposta à oferecida pela Rússia.

Tillerson afirmou que Trump iniciou a reunião, que durou pouco mais de duas, tocando no assunto e "transmitiu a preocupação do povo americano sobre a interferência russa nas eleições de 2016".

As agências de inteligência dos EUA dão como comprovado que a Rússia vazou informações durante a campanha para prejudicar a candidata democrata Hillary Clinton e investigam a possibilidade de membros da campanha de Trump terem se coordenado com representantes do Kremlin.

Putin disse neste sábado que Trump concordou na reunião que a Rússia não teve envolvimento nas tentativas de afetar o resultado das eleições de novembro do ano passado.

Trump, por sua vez, foi reticente ao reconhecer o papel da Rússia na ingerência eleitoral em público e durante a cúpula chegou a dizer que "ninguém sabe com certeza" se o governo russo orquestrou as operações de invasão cibernética.

Nikki, no entanto, afirmou em várias entrevistas que não há dúvida de que a Rússia tentou influenciar os processos eleitorais nos EUA e em outros países. EFE

jmr/cs