EFEBuenos Aires

O prefeito de Buenos Aires, Horacio Rodríguez Larreta, anunciou nesta quarta-feira que o uso de máscara deixa de ser obrigatório em espaços públicos ao ar livre da cidade, já a partir de hoje, diante da evolução da pandemia da covid-19 e o avanço da vacinação.

O chefe do governo municipal, no entanto, garantiu que o item de segurança segue sendo exigido em ambientes fechados e onde houver aglomerações de pessoas.

"Sempre tomamos as decisões nos baseando em informações e nas evidências. Agora, peço que sigam se cuidando e que sigamos usando máscara quando for necessário", afirmou o prefeito, em entrevista coletiva.

Na semana passada, Buenos Aires registrou média de 142 casos de covid-19 por dia, enquanto a ocupação de leitos de UTI com pacientes com a doença chegou ao mínimo desde o início da propagação do novo coronavírus, com marca de 3,2%.

Além disso, de acordo com dados mais recentes do Ministério da Saúde da Argentina, 2.119.029 de pessoas completaram o esquema de vacinação na cidade de Buenos Aires, o que representa 70% da população local.

Por causa destes indicadores, a partir de hoje, o transporte público também deixa de ter capacidade máxima e deixa de ser obrigatória a medição de temperatura para a entrada em espaços fechados.

"Todas essas medidas são possíveis graças ao esforço e ao compromisso de toda a sociedade, que durante muitos meses manteve os cuidados e, neste tempo, se vacinou, para ir deixando a pandemia para trás", afirmou Rodríguez Larreta.

As medidas na cidade de Buenos Aires são anunciadas três semanas depois que o governo da Argentina determinou o fim da obrigatoriedade do uso de máscaras em espaços públicos, como parte do plano de flexibilização progressiva no país.

No dia 1º, esse processo culminará com a reabertura de fronteiras para visitantes de todos os países do mundo, o que não acontece desde março do ano passado. EFE