EFENova York

Wall Street teve um pregão de resultados mistos nos indicadores nesta quinta-feira, com destaque para outro recorde do Nasdaq Composite, o quinto nos últimos dias de negociações.

O índice composto da bolsa eletrônica Nasdaq subiu 0,53% e chegou à marca histórica de 10.547,75 pontos, empurrado pelas valorizações de títulos como os de Amazon (3,29%), Facebook (0,38%), Apple (0,36%) e Microsoft (0,70%).

O Dow Jones Industrial, mais influente índice da Bolsa de Nova York, caiu 1,39%, para 25.706,09 pontos, e o seletivo S&P 500 recuou 0,56%, aos 3.152,05.

O pregão nova-iorquino ainda aguarda dados sobre o coronavírus nos EUA, onde surtos em estados do sul e do oeste, como Flórida, Texas, Califórnia, Arizona e Geórgia, estão se aproximando do colapso hospitalar.

Os investidores estão preocupados com o futuro das reaberturas após a paralisação devido à pandemia e o abrandamento da recuperação econômica que pode resultar em uma nova imposição de medidas de contenção.

Mais de 1,31 milhão de pessoas solicitaram o seguro-desemprego na semana passada (na semana passada foram 1,42 milhão), dando continuidade à tendência descendente do pico de março, à medida que a economia é reativada.

Segundo analistas, o pregão de hoje também foi influenciado pela decisão da Suprema Corte de forçar o presidente dos EUA, Donald Trump, a mostrar suas declarações do imposto de renda à Justiça, algo que todos os antecessores no cargo fizeram, mas que ele se recusa a fazer.

Entre as 30 empresas cotadas no Dow Jones, lideraram as quedas Walgreens (-7,76%), devido aos resultados trimestrais abaixo do esperado, (-4,75%), Chevron (-4,18%), Exxon Mobil (-4,13%) e Boeing (-3,78%). As maiores altas foram de Walmart (2,66%) e Cisco (1,94%).

No horário de fechamento da Bolsa de Nova York, a onça do ouro caía para US$ 1.808,60, e o rendimento dos treasuries com vencimento em 10 anos recuava para 0,612%.