EFETeerã

O ministro das Relações Exteriores do Irã, Mohammad Javad Zarif, acusou nesta sexta-feira aos Estados Unidos e seus aliados de "sabotar a diplomacia", ao responsabilizar "sem nenhuma evidência" o Irã dos ataques de ontem contra dois cargueiros no Golfo de Omã.

"Os EUA imediatamente lançam acusações contra o Irã, sem qualquer evidência objetiva ou circunstancial, apenas deixa mais claro que o Time B está se movendo para o Plano B: sabotar a diplomacia e esconder seu terrorismo econômico contra o Irã", denunciou Zarif no Twitter.

O chanceler iraniano se refere a equipe B formada pelo ao formado pelo conselheiro de Segurança Nacional da Casa Branca, John Bolton; o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu; e o príncipe herdeiro saudita, Mohammad bin Salman.

"Eu notei exatamente esse cenário há alguns meses, não porque sou uma cartomante, mas porque sei de onde vem o time B", disse Zarif, que ontem já havia classificado o ataque de "suspeito".

Dois navios-tanque, um deles de propriedade norueguesa e outro japonês, sofreram choques e explosões ontem ao deixar o Estreito de Ormuz, a cerca de 48 quilômetros da costa do Irã, um dos quais resgatou os 44 tripulantes.

O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, acusou o Irã de estar por trás do que aconteceu e justificou nos "relatórios de inteligência, as armas utilizadas e o nível de conhecimento necessário para executar a operação", entre outros.

Ele também insistiu que eles são semelhantes aos ataques registrados no mês passado em um porto dos Emirados contra quatro petroleiros, dos quais Washington também culpou Teerã, que negou isso.

Por sua vez, o governo saudita descreveu o que aconteceu como um "ataque terrorista", mas não indicou quem estaria por trás dos acontecimentos.

Os ataques de ontem coincidiram com a visita, em Teerã, do primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, que tentou interceder junto às autoridades iranianas para reduzir precisamente as tensões entre o Irã e os EUA no Oriente Médio.