EFEPraga

O atual chefe de Estado da República Tcheca, o eurocético Milos Zeman, venceu as eleições presidenciais que terminaram neste sábado, mas sem alcançar a maioria absoluta que evitaria um segundo turno, de acordo com os votos já apurados em 82% dos colégios eleitorais.

Nesse momento da contagem, o Escritório Estatístico Tcheco situa Zeman com 40,4% dos votos, seguido pelo independente Jiri Drahos, ex-presidente da Academia de Ciências, com 25,8%, e pelo diplomata Pavel Fischer, que aparece com 9,8%.

Zeman ganhou em todas as regiões do país, com exceção da capital, na qual, por enquanto, Drahos está na dianteira.

A participação foi de 61%, quase a mesma que há cinco anos, quando estas eleições aconteceram pela primeira vez por voto direto, já que antes de 2013 o presidente era escolhido pelos 200 deputados e 81 senadores em uma sessão conjunta.

Com este resultado, Zeman e Drahos se enfrentarão em um segundo turno nos dias 26 e 27 de janeiro, que algumas sondagens preveem que poderia terminar com uma apertada vitória do concorrente do atual presidente.

O quarto candidato com mais votos, o escritor e empresário Michal Horacek, que obteve 8,9% dos apoios, disse ao saber do resultado que oferece todo seu respaldo, incluindo anúncios eleitorais, para Drahos no segundo turno.

Essa decisão também foi tomada pelo quinto colocado, o médico Marek Hilser, que conseguiu 8,7% dos votos até o momento.