Publicidad

História da agência EFE

SÉCULO XIX. AS ORIGENS

1865

Nasce o “Centro de Corresponsales”, primeira agência de notícias de Espanha. Promovida pelo jornalista Nilo María Fabra.

 
1870

O “Centro de Corresponsales” assina um acordo com a Agência Havas (França) para distribuir o seu serviço de notícias internacionais em Espanha.

 

SÉCULO XX. FUNDAÇÃO, CONSOLIDAÇÃO E EXPANSÃO

I. FUNDAÇÃO

1919

Constituída a Agência Fabra, com a participação da Havas entre os seus acionistas.

1939

A Agência EFE é fundada como sociedade anónima.

Celedonio Noriega, marquês de TorreHoyos, é nomeado presidente, e o jornalista Vicente Gállego Burgos diretor-geral.

A EFE incorpora-se ao grupo de Agências Aliadas. Decide-se que os serviços informativos serão assinados com nomes distintos: EFE, no internacional; CIFRA, no nacional; CIFRA Gráfica, no gráfico e ALFIL, no desportivo.

Passa-se os escritórios de Burgos a Madrid, provisoriamente, para a rua de Espalter.

1940

Em junho a EFE adquire na rua Ayala, 5 de Madrid uma casa onde instalar o seu escritório central.

Jesús Pabón substitui Celedonio Noriega como presidente.

Abre-se a delegação de Barcelona.

II. CONSOLIDAÇÃO E EXPANSÃO

1944

Pedro Gómez Aparicio é nomeado, no mês de agosto, diretor-geral da agência em substituição de Vicente Gállego.

1946

Criado o serviço Económico Comtelsa em colaboração, em 50%, com a agência Reuters.

 
1951

A EFE instala o seu primeiro aparelho recetor de telefotografia.

1958

Em fevereiro toma posse como diretor-geral o jornalista, diplomata e escritor Manuel Aznar Zubigaray.

1960

Manuel Aznar deixa a direção da EFE em março. Até 1963 não é substituída dita direção, e a agência é dirigida, de forma coletiva, pelo presidente Jesús Pabón e os seus mais altos executivos.

 
1963

O jornalista e correspondente no estrangeiro Carlos Sentís é nomeado, em janeiro, diretor-geral.

 
1965

Carlos Sentís é promovido à presidência da EFE em substituição de Jesús Pabón.

O jornalista Carlos Mendo é nomeado diretor-geral da EFE.

Abre-se em Buenos Aires a primeira delegação na América.

1966

A 2 de janeiro dá-se início ao serviço informativo exterior da EFE para a sua distribuição na América Latina.

Abrem-se delegações em todos os países do continente americano.

 
1967

O empresário catalão Miguel Mateu Pla substitui Carlos Sentís como presidente da EFE.

1968

Manuel Aznar é nomeado presidente da agência em setembro.

A EFE adquire a agência Fiel.

 
1969

Nomeia-se Alejandro Armesto como diretor-geral.

A EFE dá início a reduzidos serviços informativos em inglês e francês.

1972

Em novembro a EFE e destacados meios de comunicação privados centro-americanos criam a Agência Centro-americana de Notícias (ACAN), com sede no Panamá.

 
1976

José María Alfaro é nomeado presidente da EFE em fevereiro, em substituição de Manuel Aznar, que tinha falecido uns meses antes.

Em setembro Luis María Anson assume a presidência e pouco depois, em outubro, é eleito também como diretor-geral da agência.

Edita-se o primeiro “Manual de Estilo da Agência EFE” para a redação homogénea dos serviços informativos de todo o mundo, sob a direção e assessoria do professor e académico Fernando Lázaro Carreter.

1977

A EFE passa a sua sede central desde a rua Ayala, 5 à rua Espronceda, 32 em Madrid.

Todos os serviços informativos passam a utilizar como marca comercial a denominação EFE, até então reservada à informação internacional.

As marcas CIFRA (nacional), CIFRAGRÁFICA (fotos) e ALFIL (desporto) desaparecem.

Criados os Prémios EFE de Jornalismo.

1979

A EFE ingressa como membro de pleno direito na Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP).

 
1981

Criada, em colaboração com o Instituto de Cooperação Ibero-americana, o Departamento de Espanhol Urgente (DEU) com a participação de filólogos e destacados académicos da linguagem, com a missão de velar pelo uso correto do espanhol nos seus serviços informativos.

 
1983

Em janeiro o jornalista Ricardo Utrilla é nomeado Presidente-diretor-geral da EFE.

Os prémios EFE de Jornalismo são substituídos pelos Prémios Rei de Espanha, em colaboração com o Instituto de Cooperação Ibero-americana.

Assina-se um acordo com a agência norte-americana UPI para impulsionar o departamento de Rádio.

Criam-se os serviços “Grandes firmas” e “Crónicas fim de século” para distribuir em Espanha e na Hispano-América artigos de destacadas figuras intelectuais.

1984

A EFE junta-se formalmente à European Pressphoto Agency (EPA), a primeira agência de telefotografia europeia, com 20% do capital da sociedade.

 
1986

EFE muda de logótipo.

1988

Dá-se início ao serviço EFE Data, primeiro banco de dados de notícias em espanhol.

Cria-se a Fundação EFE (março) com o objetivo de fomentar a investigação, desenvolvimento e estudo da informação e da sua tecnologia, assim como a concessão de estágios informativos para alunos em qualquer um dos ramos de Ciências da Informação.

1989

A EFE começa a distribuir os seus serviços informativos por satélites de comunicação diretamente aos seus clientes.

Celebra-se o 50º aniversário da Agência EFE com uma exposição gráfica itinerante, Efemérides, com fundos de arquivo.

A APM concede à EFE o prémio Rodríguez Santamaría pelo trabalho desenvolvido nos cinquenta anos desde a sua criação.

 
1990

Criada a EFEAGRO como empresa participada da EFE.

Primeira edição do prémio Bola de Prata para o melhor futebolista ibero-americano.

1991

Dá-se início às emissões oficiais de TELETEXTO.

 
1994

Criada a EUROEFE para informar sobre as atividades da UE.

 
1995

A agência EFE inaugura em Granada um serviço informativo em árabe. O ato foi presidido pelos Reis Dom Juan Carlos e Dona Sofía.

A EFE é galardoada com o prémio Príncipe de Astúrias de Comunicação e Humanidades como reconhecimento do seu trabalho, independência e neutralidade.

1996

Miguel Ángel Gozalo é nomeado presidente-diretor-geral da EFE.

1998

Começa a funcionar a FOTOTECA (arquivo fotográfico digital).

A Agência EFE e a UNICEF criam, com carácter bianual, os Prémios Ibero-americanos de Comunicação pelos Direitos da Infância e da Adolescência.

2000

Dá-se início à comercialização através da Internet e à digitalização dos arquivos gráficos e de imprensa. Põe-se em marcha a Intranet, “Entre nosotros”.

 

SÉCULO XXI. AS NOVAS TECNOLOGÍAS E O FUTURO

2001

Lançamento de um serviço em português para o Brasil.

A EFE deixa de depender do Património do Estado e deixa de depender de Património do Estado e permanece adscrita à Sociedade Estatal de Participações Industriais (SEPI).

A Associação de Utilizadores de Internet (AUI) concede à Agência EFE o Prémio à Empresa

2002

Criação de um centro de edição em Miami que facilita a adaptação dos conteúdos informativos para o mercado Americano.

2003

Põe-se em marcha o Serviço Gráfico Internacional (SGI) na aliança com a EPA.

Inaugura-se em Madrid a Unidade de Coordenação Multimédia.

 
2004

Álex Grijelmo é nomeado presidente da EFE.

Criado o prémio Dom Quixote de Jornalismo, que se nomeia e entrega junto aos Prémios Internacionais de Jornalismo Rei de Espanha.

2005

A jornalista Lola Álvarez é nomeada diretora-geral.

Sobre a base do Departamento de Espanhol Urgente (DEU), fundado por Luis María Anson em 1981, cria-se a FUNDEU (Fundação do Espanhol Urgente), fruto de um acordo entre a EFE e o BBVA.

A filial ACANEFE (o serviço para a América Central) integra-se na EFE.

2006

A EFE muda de logótipo.

Cria-se o Conselho de Redação da EFE.

Serviço de notícias em árabe passa para o Cairo.

2007

Passa-se Miami a Bogotá a Mesa de Edição, que se converte na Cibermesa da América.

Nascem a TVEFE América (em espanhol) e a TVEFE Brasil (em português), uma aliança estratégica entre a Televisão Espanhola e a EFE para criar o primeiro serviço audiovisual de notícias internacionais.

2008

Celebra-se em Madrid, com a co-organização da Agência EFE, a 64ª Assembleia Geral da Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP).

A EFE e Dow Jones lançam um novo serviço conjunto de notícias económicas e financeiras em espanhol.

Publicado o livro “La sonrisa urgente”.

2009

A EFE celebra o seu 70º aniversário consolidada como a quarta agência do mundo e a primeira em espanhol.

Abre-se a primeira delegação permanente da EFE em Teerão.

Nasce o serviço de notícias “EFEGalicia en galego”.

A agência EFE edita o livro “Efe 20 anys de notícies en catalá”.

2010

Nasce www.efeverde.com, a voz do meio ambiente da EFE.

2011

A EFE publica o “Libro del estilo urgente”, o seu primeiro manual de jornalismo multimédia.

A EFE e o YouTube lançam o canal “Elecciones Generales 2011”.

A Agência EFE, Fundação da Língua Espanhola e o Instituto Cervantes lançam a página “Practica español con EFE”.

2012

José Antonio Vera é nomeado presidente da EFE.

Inauguram-se os EFE encontros, Efesalud.com, Efeturviajes.com.

Cria-se o Prémio Rei de Espanha de Jornalismo Meio ambiental

FUNDEU publica o livro “Todo lo que siempre quiso saber sobre la lengua castellana”.

José Antonio Vera José Antonio Vera José Antonio Vera
2013

Publica-se o livro “75 años, 75 fotos” para comemorar o 75º aniversário de Sua Majestade o Rei.

XXX Edição dos Prémios Rei de Espanha e é publicado o livro “Reyes del Periodismo”.

Nascem os portais Efeescuela.es, Efefuturo.com, Efemotor.com, Efeestilo.com, Efeemprende.com, Efedoc Análisis y Efeempresas.com.

Celebração do 40º aniversário da ACANEFE com atos em todas as capitais da América Central.

Publicado o livro “Sofía 75 años”.

Libro del Rey Nueva sede Libro Reina
2014

Completam-se 75 anos do nascimento da EFE.

Inauguração da nova sede da EFE na avenida de Burgos.

Suas Majestades os Reis Juan Carlos e Sofía inauguram a magna exposição comemorativa dos 75 anos da EFE.

Publicação dos livros “Felipe VI: la vida del Rey en 100 imágenes” e “EFE75”.

A EFE organiza 44 exposições nas diferentes comunidades autónomas e 21 em outros tantos países da América.

Nueva sede Libro del Rey Libro del Rey Felipe VI
2015

A FUNDÉU celebra o 10º aniversário da sua fundação, num acto presidido pela rainha Letizia.

A EFE aumenta a sua participação na EPA (European Photopress Agency) até 49,9 por cento.

A EFEAgro celebra 25 anos de existência.

Exposição da EFE em Buenos Aires e Caracas pelos 50 anos da EFE na América.

Ato comemorativo dos 1.000 números e 3 anos da EFEsalud.com.

Fundéu EPA EFE Agro
2016

Exposição em Lima pelos 50 anos da EFE no Peru.

Inauguração do Museu da EE pelo presidente do Governo, Mariano Rajoy.

A EFE e o seu presidente recebem o Prémio Eisenhower à liberdade de expressão

Entrega dos Prémios Rei de Espanha ao Nobel Mario Vasgas Llosa e ao jornalista Carlos Herrera, entre outros.

Criado o website Practicodeporte.com

Nuseo EFE Practico deporte
2017

Entra em funcionamento o serviço EFE-EPA multimédia em inglês para a Ásia.

São entregues os Prémios Rei de Espanha de Jornalismo a Arturo Pérez-Reverte e Carmen Posadas, entre outros.

Entra em serviço a linha News 4 Europe com a EFE, EPA y outras dez agências de notícias europeias.

Agencia EFE EPA News 4 Europe