EFEDublin

O norte-irlandês Partido Democrático Unionista (DUP), parceiro do governo britânico, ressaltou nesta quinta-feira que permanece contra o acordo elaborado por Reino Unido e União Europeia (UE) sobre o Brexit.

Pouco após o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, e a Comissão Europeia confirmarem que chegaram a um pacto, fontes do DUP disseram às emissoras "BBC" e "RTE" que o partido mantém a oposição, posição que havia sido anunciada antes da confirmação do novo acordo.

"O nosso comunicado anterior segue de pé, em resposta às notícias de que chegaram a um acordo", comentaram as fontes do DUP, cujos dez deputados no Parlamento do Reino Unido permitem que Johnson governe em minoria e cujos votos são fundamentais para a ratificação do novo acordo.

Os unionistas norte-irlandeses emitiram nesta manhã uma nota na qual disseram que rejeitavam o pacto elaborado em Bruxelas, quando ainda não tinha sido apresentado na capital europeia, ao afirmarem que, "da forma como estão as coisas", não podem aceitá-lo.

"Participamos de contínuas conversas com o governo. Da forma como estão as coisas, não poderíamos aceitar o que está sendo sugerindo sobre as alfândegas e outros assuntos sobre consentimento, e há uma falta de clareza sobre o IVA", ressaltou o comunicado assinado pela líder do DUP, Arlene Foster, e o seu número 2, Nigel Doods.

Os dez deputados do partido em Londres já rejeitaram em três votações o pacto do Brexit assinado em dezembro pela antecessora de Johnson, Theresa May, e pela UE, o que também precipitou a sua saída do Governo.

O atual primeiro-ministro continua a depender do apoio do DUP, assim como da ala mais eurocética dos conservadores, para ratificar o novo pacto em uma sessão de emergência convocada para este sábado no Parlamento britânico, de modo a cumprir o prazo de saída, previsto para o dia 31 de outubro.

Foster e Doods declararam nesta quinta-feira que "seguirão trabalhando com o governo" para obter um tratado que funcione para a Irlanda do Norte e possa proteger a integridade constitucional do Reino Unido.

Embora ainda esteja cedo para avaliar todos os aspectos técnicos do novo acordo, um dos principais objetivos do pacto é evitar o estabelecimento de uma fronteira dura entre Irlanda do Norte (que faz parte do Reino Unido) e Irlanda, um ponto chave para as suas economias, altamente conectadas, e para o processo de paz.

Para isso, a Irlanda do Norte precisa se manter alinhada com certas normas do mercado único europeu e a união aduaneira após o Brexit, o que desperta o receio do DUP. O partido entende que a região terá um status diferente do resto do Reino Unido, colocando em perigo a integridade econômica e constitucional de todo o país.