EFERoma

Dois conventos em Roma foram isolados depois que cerca de 60 religiosas foram infectadas com o novo coronavírus, confirmou nesta sexta-feira o Ministério da Saúde da região do Lácio, no centro do país, que iniciou um estudo epidemiológico.

Um dos conventos é do Instituto das Filhas de San Camilo, no bairro romano de Anagnina, nos arredores do sul, onde 40 freiras deram positivo para a Covid-19.

Apenas uma delas foi hospitalizada ontem, de acordo com os primeiros avisos desta comunidade, dedicados ao cuidado de doentes, mas a confirmação chegou hoje.

O outro caso é o Instituto da Congregação das Irmãs Angélicas de San Paolo, onde 19 das 21 religiosas que ali residem foram infectadas pelo coronavírus.

Este convento está localizado na estrada Casilina, na periferia sul, e suas freiras se dedicam ao ensino.

O isolamento desses dois conventos já foi levado ao conhecimento da delegada do governo na capital, Gerarda Pantalone, e um estudo epidemiológico foi iniciado.

A Itália registra 3.405 mortes pelo coronavírus e já ultrapassou a China. Atualmente, existem 33.190 pacientes, a maioria na região norte da Lombardia.

Quanto à região do Lácio, com Roma como capital, o total de casos positivos subiu para 823 e os mortos são 38, segundo os últimos dados da Defesa Civil.

O papa Francisco incentivou padres e religiosos a ajudar as pessoas com a Covid-19.