EFEBuenos Aires

Menos de 48 horas após ter anunciado a renúncia ao cargo de técnico do Gimnasia La Plata por falta de unidade na cúpula do clube, Diego Maradona voltou atrás e avisou que continuará no posto.

"Estou muito feliz por poder dizer que continuo sendo técnico do Gimnasia La Plata. Quero agradecer à torcida e aos jogadores porque todos, finalmente, conseguimos a unidade política do clube", escreveu o treinador nas redes sociais.

Em entrevista à "Fox Sports", o empresário de Maradona, Cristian Bragarnik, disse que "Diego tomou a decisão de seguir no Gimnasia e retomar o trabalho que tão exitosamente tinha assumido".

"A mensagem de Diego foi muito clara, e o comunicado também. Óbvio que há interpretações quando há interesses políticos. Ele é agradecido a (Gabriel) Pellegrino (atual presidente), que o trouxe ao futebol argentino", detalhou.

A decisão de Maradona mudou nesta quinta-feira, quando os candidatos às eleições presidenciais do clube, que serão disputadas no próximo sábado, Salvador Robustelli e Mariano Cowen, aceitaram fazer um mandato de unidade que inclua Gabriel Pellegrino.

"Ao saber que foram dadas todas as condições que pediu, ele vai continuar", acrescentou o assessor jurídico de Maradona, Matías Morla.

Além de agradecer aos seguidores pela mobilização a seu favor, Maradona pressionou a diretoria: "Espero que entreguem os reforços que prometeram", alertou.