EFEBangcoc

Os mergulhadores australianos Richard Harris e Craig Challen, que desempenharam um papel crucial na operação de salvamento do time juvenil de futebol que ficou preso em uma caverna do norte da Tailândia no ano passado, visitaram nesta segunda-feira a gruta pela primeira vez desde o resgate.

Ambos fizeram parte da operação internacional que conseguiu retirar com vida os 13 integrantes do time de futebol Javalis Selvagens, que ficaram mais de duas semanas no interior da caverna de Tham Luang, na província de Chiang Rai, no norte da Tailândia, um resgate que foi seguido no mundo todo.

Harris foi responsável por sedar as crianças para evitar ataques de pânico enquanto uma equipe de mergulhadores os levava ao exterior através de passagens longas e estreitas em uma caverna inundada, enquanto Challen realizou exames médicos nos jovens jogadores, que tinham entre 11 e 16 anos, e em seu treinador, de 26.

Os dois mergulhadores, que na sexta-feira passada se encontraram em Bangcoc com o primeiro-ministro da Tailândia - o general Prayut Chan-Ocha - e receberam a Condecoração Real da Admirável Ordem de Direkgunabhorn, também se reuniram hoje, em privado e longe das câmeras, com os integrantes dos Javalis Selvagens.

Além disso, os dois voltaram a entrar na caverna, cuja entrada se transformou em uma atração turística, mas o acesso à gruta está proibido, e renderam uma homenagem à estátua do soldado da marinha tailandesa Saman Kunan, que morreu durante as operações de resgate.