EFEBerlim

Um colecionador anônimo pagou 1,26 milhão de euros neste sábado por uma raridade filatélica de 1851, um selo que ganhou fama entre os especialistas porque um erro de produção fez com que fosse impresso em papel verde ao invés de rosa.

A casa de leilões alemã Heinrich Köhler, especializada neste tipo de peça, indicou em comunicado que o leilão, que teve um lance inicial de 800.000 euros, teve a participação de quatro colecionadores, dois presentes e outros dois por telefone.

Trata-se da "maior raridade da filatelia da Alemanha antiga", segundo assegurou a casa de leilões de Wiesbaden.

O lote 5 do leilão, denominado "Erro de impressão Baden", está impresso em um papel "verde azulado no lugar de uma rosa lilás", o padrão, e se encontra em muito bom estado de conservação, com apenas um atrito em um extremo, e selado com data de 26 de agosto de 1851.

Segundo os especialistas, só há outro exemplar com este erro no papel, que se encontra há mais de um século na coleção do Museu Postal de Berlim.

O selo pertencia à coleção do ex-diretor executivo do grupo alemão Tengelmann, o milionário germânico-americano Karl-Erivan Haub, que desapareceu em abril de 2018 enquanto esquiava nos Alpes suíços.