EFEIstambul

As redes sociais da Turquia foram inundadas nesta sexta-feira com chamadas ao boicote à marca de cerveja mais popular do mercado (Efes), porque a fabricante Anadolu Efes lançou dois produtos com nomes considerados sexistas pelos consumidores.

Os produtos da discórdia, elaborados em parceria com o fabricante dinamarquês Mikkeller, se chamam "Zilli Sally" e "Delikanli Henry", o que se pode traduzir como "Sally, a megera" e "Henry, o bom moço".

Além do nosso, outro agravante é que a cerveja "feminina" é mais suave, com apenas 3,9% de teor alcóolico, enquanto a "masculina" possui 4,8%, o que também foi tachado de sexista por muitos internautas, que inundaram as redes com críticas à marca.

Além disso, a hashtag "EfesBoykot" virou "trending topic" no Twitter.

A Anadolu Efes divulgou um comunicado no qual assegura que os personagens Sally e Henry, da marca Mikkeller, expressam "ironia", informou o jornal turco "Diken".

O debate acontece depois de vários dias de manifestações feministas e debates políticos na Turquia sobre violência machista, desencadeados pela divulgação de um vídeo que mostra como um homem assassina sua ex-mulher diante da filha de ambos, de 10 anos, em um café.

A Anadolu Efes encerrou o comunicado sublinhando que condena o sexismo e a violência contra as mulheres, mas a campanha nas redes sociais contra a marca continua.

Entre as várias marcas da própria Mikkeller com os dois personagens existe uma chamada "Shotgun Sally", que também pode ser interpretada como uma referência a uma mulher habituada a impor suas ideias pela força.