EFEWashington

O co-fundador do aplicativo de mensagens WhatsApp Brian Acton anunciou que deixou a empresa para criar uma organização sem fins lucrativos relacionada à tecnologia.

Em uma mensagem em sua conta do Facebook, Acton se mostra orgulhoso das conquistas da equipe do WhatsApp em oito anos, mas diz que refletiu muito antes de dar este passo e começar "um novo capítulo" em sua vida.

Segundo o programador, a nova empresa terá foco "na intersecção das organizações sem fins lucrativos, da tecnologia e das comunicações".

Acton dirigia as equipes de engenheiros do aplicativo de mensagens, que há três anos foi comprado pelo Facebook por US$ 22 bilhões.

Atualmente, o co-fundador do WhatsApp estava à frente de um projeto da plataforma para criar ferramentas para empresas e introduzir características adicionais por uma tarifa, a fim de rentabilizar sua popularidade, informou na semana passada o jornal "The Wall Street Journal".

Um porta-voz do Facebook disse que Acton não será substituído em seu cargo, enquanto o outro co-fundador do WhatsApp, Khan Koum, continuará como diretor-executivo da empresa.

Quando a venda do aplicativo para o Facebook foi anunciada, em fevereiro de 2014, a companhia tinha 55 funcionários e 450 milhões de usuários mensais, número que desde então quase triplicou e hoje é de 1,3 bilhão.