EFEJerusalém

Um veículo de combate com design inovador e cabine transparente, que identifica objetos, manobra automaticamente e escolhe a rota mais segura, é o tanque do futuro que foi testado nesta terça-feira em uma missão simulada no norte de Israel.

A empresa israelense de tecnologia de defesa Rafael divulgou em tempo real como o tanque do futuro demonstrava suas capacidades tecnológicas em um entorno urbano, na base militar de Eliakim.

O tanque só necessita de dois operadores, ao invés dos quatro habituais, pois seu sistema permite escanear todo o entorno, tanto os perigos que podem ser encontrados no caminho, como explosivos, e até mesmo pessoas que podem servir de alvo.

Assim, os soldados só precisam que estar cientes das decisões operacionais em uma missão, já que o veículo se move automaticamente e fornece todas as informações em tempo real do que está em volta.

A Rafael, junto com a companhia israelense Elbit e a Indústria Aeroespacial de Israel, entrou nesta semana na fase final do Programa Carmel projetado para equipar os veículos de combate com inteligência artificial e capacidades automáticas e autônomas.

O programa não produz novos veículos, mas incorpora tecnologia avançada além da inteligência artificial, segundo as empresas desenvolvedoras que se responsabilizam por cada capacidade: propulsão híbrida, defesa cibernética, camuflagem ativa, radar multitarefa e um sistema para identificar tropas.

As plataformas desenvolvidas serão incorporadas nos veículos armados do exército israelense.

Autoridades do Ministério da Defesa e das Forças de Defesa de Israel participaram nesta semana da apresentação de soluções tecnológicas do programa que está em desenvolvimento há três anos e permitirá ter tanques "ágeis, efetivos, inovadores, compactos e fáceis de manobrar, a um baixo custo".