EFESão Paulo

São Paulo exporá a partir desta segunda-feira seu modelo de gestão de energias renováveis durante o Congresso Mundial de Engenheiros e Cientistas (Wsec) no marco da Expo Astana 2017, informou o Governo do Estado.

O secretário de Energia e Mineração de São Paulo, João Carlos Meirelles, será o único conferencista brasileiro no Wsec, que começou nesta segunda e vai até quarta-feira na capital do Cazaquistão, onde os países que participam da Expo Astana 2017 apresentam ao mundo suas ideias de energia limpa e sustentável.

Meirelles fará a palestra "Gás Natural: A estratégia de transição para as energias renováveis", na qual destaca o "papel fundamental" do gás como fonte de energia nas iniciativas propostas de mudança de matriz energética nos próximos 25 anos.

"Vamos mostrar a experiência de São Paulo no setor de energias renováveis, que é referência para o mundo, e como estamos trabalhando para dar sustentação à expansão de fontes intermitentes", apontou Meirelles, citado no comunicado.

São Paulo considera o gás natural como a "ferramenta de transição" para as energias renováveis e "suporte de segurança energética" do maior parque industrial do país, que consome anualmente 75% dos quase seis bilhões de metros cúbicos do hidrocarboneto distribuído na região.

Apesar de ser um combustível fóssil, para a Secretaria de Energia e Mineração de São Paulo o gás natural é uma "alternativa ambientalmente vantajosa" em relação ao petróleo e reduz também a emissão de gases do efeito estufa.

São Paulo tem a maior rede de gasodutos do país, com o gás natural proveniente da Bolívia e da Bacia de Santos, um hidrocarboneto que também é distribuído aos estados vizinhos de Minas Gerais, Rio de Janeiro e Paraná.

A partir do Wsec 2017 será criada uma plataforma de discussão para proporcionar o intercâmbio de experiências no campo da alta tecnologia energética, e das realizações e tendências mais importantes que estão surgindo no setor.

Na conferência estarão presentes mais de mil delegados de 50 países, 200 cientistas de referência internacional, alguns ganhadores de prêmios Nobel; ministros e altos funcionários dos governos e representantes das multinacionais do setor energético.

Meirelles cumprirá em Astana uma agenda de encontros bilaterais com empresários e representantes do governo do Cazaquistão para promover futuras alianças entre o país asiático e o estado de São Paulo.