EFEMadri

Vodafone e Huawei completaram hoje a primeira chamada 5G no mundo, efetuada entre as cidades de Castelldefels e Madri, utilizando as especificações do padrão comercial aprovado em dezembro do ano passado e a banda de espectro de 3,7 Gigahertz (GHz).

A quinta geração móvel revolucionará a forma como nos comunicamos ao aumentar a velocidade e a quantidade de dispositivos que podem se conectar ao mesmo tempo.

Além disso, a tecnologia torna possível reduzir a latência (tempo de resposta da rede) até aproximadamente um milissegundo, o que possibilitará a direção autônoma de veículos e operações cirúrgicas por controle remoto.

O diretor de Arquitetura e Estratégia de Rede do grupo Vodafone, Santiago Tenorio, destacou que esta chamada aconteceu apenas dois meses depois de o padrão ser completado, quando as expectativas da indústria era que fosse realizada de quatro a seis meses mais tarde.

Tenorio ressaltou que a principal diferença em relação às chamadas feitas recentemente por Coreia do Sul e Estados Unidos foi que estas últimas foram feitas sobre ondas milimétricas, ou seja pré-padrão, enquanto a de hoje foi feita sobre o padrão aprovado e o que foi alcançado fará parte integral do futuro produto.

"Hoje não vimos demonstrações, nem um mini desenvolvimento. Por trás há 1.500 pessoas trabalhando dia e noite durante as últimas seis semanas", acrescentou o diretor do Vodafone, que insistiu em destacar "o mérito" da outra chamada.

Tenório explicou que o padrão aprovado em dezembro permite a interoperabilidade entre redes 5G e 4G, enquanto o que deve ser aprovado em junho permitirá à quinta geração móvel funcionar de forma isolada.

As especificações do novo padrão aprovado em dezembro pela associação setorial público-privada 3GPP serão incorporadas ao futuro desdobramento comercial da tecnologia 5G.

O novo padrão contempla a utilização em uma primeira fase da infraestrutura da rede 4G para o controle e a gestão do tráfego de dados, por isso será necessário que tanto os terminais como as estações base possam estabelecer uma conectividade dupla às redes 4G e 5G ao mesmo tempo.

Para poder fazer uma conexão do início ao fim foi utilizado um espectro na frequência de 3,7 GHz e uma rede de testes completa foi implantada.

Tanto o executivo-chefe de Vodafone Espanha, Antonio Coimbra, como o secretário de Estado para a Sociedade da Informação e a Agenda Digital da Espanha, José María Lassalle, concordaram em descrever o acontecimento como "histórico" e destacaram que ocorre, além disso, às vésperas do Mobile World Congress (MWC), que começa na próxima segunda-feira em Barcelona.

"É um marco de significância mundial que representa que esta indústria está trabalhando muito e duro para que a Espanha siga sua revolução para a mudança de era que estamos vivendo", que sem redes de nova geração "não é possível", indicou Coimbra.

Lassalle, por sua vez, destacou que é "maravilhoso ligar digitalmente duas cidades como Barcelona e Madri" antes do MWC e reiterou o compromisso do governo com o desenvolvimento do 5G, embora não tenha especificado quando serão realizados os primeiros leilões de espectro para a nova tecnologia móvel.