EFEMoscou

Um total de 40 menores de idade se suicidaram em Moscou ao longo de 2017 por influência de "grupos da morte" online, segundo informaram nesta terça-feira fontes oficiais.

"Há páginas de suicidas. Só em Moscou e na província, 40 meninos se suicidaram após acessar essas páginas", disse hoje Alexandr Bastrikin, titular do Comitê de Instrução da Rússia.

"Quantos menores a mais temos que perder para levarmos a sério esse assunto?".

O chefe do CI lembrou que previamente os investigadores russos propuseram bloquear sites suspeitos sem esperar a autorização judicial.

"Estamos falando de um enfoque equilibrado, sem cair em extremos. Precisamente na internet é onde hoje em dia há uma guerra pela nossa juventude, pelo caminho que vamos tomar", sentenciou.

No ano passado, a Rússia aprovou uma lei que impõe penas de prisão de até seis anos pela indução ao suicídio aos menores em uma tentativa de frear a propagação dos chamados "grupos da morte "nas redes sociais.

A norma, implantada depois que a imprensa denunciou a existência de "grupos da morte" virtuais que teriam incentivado o suicídio a mais de 100 adolescentes russos, elevou a incitação ao suicídio para categoria de delito grave.

O maior número de suicídios infantis na Rússia foi registrado em 2016, com 720 mortes, segundo as estatísticas oficiais.