EFEMiami

O ator, diretor e produtor cinematográfico americano Burt Reynolds morreu nesta quinta-feira aos 82 anos na cidade de Jupiter, nos Estados Unidos, informaram nesta quinta-feira meios de comunicação americanos.

O protagonista de filmes como "Amargo Pesadelo" e "Boogie Nights - Prazer sem limites", pelo qual recebeu uma indicação ao Oscar, morreu na manhã de hoje no Jupiter Medical Center, no sul da Flórida, segundo informou seu representante, Erik Kritzer, ao site da revista especializada "The Hollywood Reporter".

A conta oficial do Globo de Ouro assegurou no Twitter que a morte do ator também premiado pela séria de TV "Evening Shade" (1990) se deveu a um possível ataque cardíaco.

Reynolds, que estrelou filmes de ação e comédia, viveu sua época dourada durante a década de 1970, mas se manteve na ativa até a atualidade.

Prova disso é que seu nome aparece escalado para o próximo filme de Quentin Tarantino, "Once Upon a Time in Hollywood", ao lado de outras estrelas como Leonardo DiCaprio, Brad Pitt, Al Pacino e Margot Robbie.

Carismático e de sorriso esperto, entre 1978 e 1982 Reynolds foi protagonista de filmes que chegaram ao topo da bilheteria americana como "Agarra-me se Puderes", que teve duas sequências, e "Quem não corre, voa" (1981).

Após estrear na televisão, Reynolds não fugiu da polêmica em seus primeiros anos, como ocorreu quando apareceu nu nas páginas centrais da edição de abril de 1972 da revista "Cosmopolitan", na qual consolidou sua imagem de símbolo sexual.

A publicação precedeu a estreia de "Amargo Pesadelo", do diretor John Boorman, na qual interpretou Lewis Medlock, o fanático das excursões que leva três amigos seus a uma imprevisível viagem pelo rio Cahulawassee, na Geórgia.

Aquela foi uma de suas interpretações mais destacadas, da mesma forma que a do diretor pornográfico que interpretou no longa "Boogie Nights", do diretor Paul Thomas Anderson, papel que, embora tenha ganhado sua única indicação ao Oscar, acabou renegando por seu resultado final.

Segundo contou em suas memórias de 2015 "But Enough About Me", mais que interessado em papéis que agradassem a crítica ou lhe representassem novos desafios interpretativos, Reynolds se interessava mais em "se divertir".

O ator nasceu em Lansing (Michigan), mas se estabeleceu na Flórida, onde foi reconhecido em vários festivais de cinema local, entre eles o de Fort Lauderdale.