EFEKatmandu

As mulheres hindus do Nepal celebraram nesta sexta-feira o festival Rishi Panchami, durante o qual as devotas tomam banhos em rios, riachos ou lagoas para se purificar, expiar os pecados e atrair o bem-estar para seus filhos e maridos.

A festa religiosa da qual muitas mulheres do país participam todos os anos é lembrada no terceiro dia do Teej, um festival no qual deixam de comer e beber rezando pelo bem-estar de seus maridos, e que coincide com o quinto dia da lua nova do mês de setembro.

Segundo a mitologia hindu, as mulheres que já menstruaram devem comparecer ao festival de Rishi Panchami, completar o jejum e prestar homenagem aos Sapta Rishis (sete santos poderosos).

"Acredita-se que jejuando e homenageando os Sapta Rishis, as mulheres serão abençoadas e perdoadas por todos os pecados que tenham cometido durante o ciclo menstrual", disse à Agência Efe Govinda Adhikari, sacerdote hindu da cidade de Bhaktapur, no vale de Katmandu.

A tradição se inspira no exemplo da deusa Parvati, que jejuou para seduzir Shiva, algo que convenceu um dos deuses mais importantes do hinduísmo de sua força de espírito.

Na manhã de hoje, as devotas se levantaram muito cedo para limpar o corpo com 365 talos da erva apamarga, além de se banhar em água misturada com estrume de vaca, cinzas e terra de lugares sagrados.

O ritual de jejum, além disso, requer que as devotas façam orações e mergulhem nos rios.

Ao final do dia, as mulheres podem encerrar o jejum consumindo alimentos como grãos, vegetais e frutas silvestres.

Com uma população de cerca de 30 milhões de habitantes, o Nepal conta com uma maioria de hindus, que representam 81% da população, enquanto cerca de 9% são budistas.