EFETóquio

Pelo menos duas pessoas morreram nas últimas horas no Japão e cerca de 120 ficaram feridas após a passagem do tufão Trami, que nesta segunda-feira (data local) se afastava do nordeste do país.

O novo tufão, o de número 24 da atual temporada, tocou terra no oeste de Japão por volta das 20h de domingo (8h em Brasília), e começou a castigar a capital do país perto da meia-noite, com chuva e fortes ventos.

Esta manhã, no entanto, Tóquio amanheceu ensolarada e o tufão já estava se afastando para o nordeste do Japão, em direção ao Pacífico, com uma velocidade de 95 km/h, ventos de até 126 km/h e sequências de até 180 km/h.

De acordo com dados apurados pela agência local Kyodo, um caminhoneiro morreu na cidade de Tottori por causa de um desmoronamento e um homem se afogou em um rio de Yamanashi, a oeste de Tóquio.

Uma mulher de 60 anos que foi arrastada por um canal de irrigação em Miyazaki, no sudoeste do país, está desaparecida.

O tufão obrigou o cancelamento de mais de mil voos em todo o país, e para esta segunda-feira foram cancelados mais 230 voos, segundo a emissora pública de televisão "NHK".

O aeroporto internacional da cidade de Osaka, o terceiro com maior tráfego aéreo no Japão, interrompeu seu serviço no domingo e hoje estava recuperando suas atividades.

A NHK informou que perto de 410 mil casas em Tóquio e regiões próximas ficaram sem fornecimento de energia elétrica por causa de danos à rede de transmissão.

O tufão obrigou a suspenção do tráfego de trens em algumas redes de ferrovia em diferentes pontos do país e dos arredores de Tóquio, e ao longo da manhã desta segunda-feira os serviços afetados estavam recuperando sua normalidade.