EFEBarcelona

A possibilidade de Neymar jr assinar pelo Barcelona no último verão não teria desequilibrado o ano fiscal do clube porque era "economicamente sustentável", segundo revelou o tesoureiro e vice-presidente azulgrana, Enrique Tomas.

Tomas garantiu estes dados durante a apresentação do balanço financeiro da última época e do orçamento da atual presente. "Era sustentável pelas diferentes opções que oferecemos ao Paris Saint-Germain. Era uma operação viável", disse.

Referia-se, sem detalhar, que a contratação de Neymar teria levado à saída de determinados jogadores caso o clube parisiense tivesse aceitado a oferta do Barça, com o qual se teria libertado de alguma massa salarial.

"Foi um pedido da área desportiva e do treinador. Fizemos todo o possível para que Neymar viesse ao clube, mas de uma forma sustentável. Todas as alternativas que oferecemos, o PSG rejeitou-as. Pensávamos contratá-lo, mas dentro de uma sustentabilidade económica", disse Oscar Grau, diretor-executivo do Barcelona.