EFEBogotá

O português Carlos Queiroz deixou o cargo de selecionador da Colômbia depois de chegar a um acordo com a federação de futebol do país na madrugada desta quarta-feira.

A permanência de Queiroz estava em xeque desde as duras derrotas por 3-0 contra o Uruguai e 6-1 com o Equador de novembro para a qualificação do Mundial de 2022.

"A Federação Colombiana de Futebol (FCF) e o treinador Carlos Queiroz concordaram com a não continuidade do técnico à frente da seleção colombiana masculina principal", informou a entidade em comunicado.

"A FCF teve orgulho de contar com ele por quase dois anos, durante os quais nos ofereceu toda a sua capacidade de trabalho, conhecimento e experiência que tinha adquirido internacionalmente. A contribuição que nos deixa servirá para continuar o desenvolvimento dos projetos que foram realizados com todas as equipas do nosso país", acrescenta a nota.

Queiroz, que ao longo da sua carreira passou pelos bancos do Real Madrid e da seleção do Irão ou Portugal, assumiu o comando da Colômbia em fevereiro do ano passado. Em 18 jogos conseguiu nove vitórias, cinco empates e quatro derrotas.

Com o português como treinador, a Colômbia chegou aos quartos de final da Copa América de 2019, onde foi eliminada nos penáltis pelo Chile.